Aceitando a vontade de Deus

vontade de deus

Por favor abre as suas Bíblias no livro de Romanos, capitulo doze. Começando em versículo um, diz: “Rogo-vos, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresentais os vossos corpos em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional.

E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus.” (Romanos 12.1-2).

Por meio de introdução, deixa-me dizer que é o meu desejo desenvolver hoje à noite o que a Bíblia diz sobre a vontade de Deus porque a vontade de Deus é um conceito extremamente mal-entendido. E deixa-me explicar isso.

É mal-entendido porque é quase sempre usada de uma forma misteriosa. Entenda-me que não é usado de uma maneira errada – longe disso. É usada de uma forma que cria perguntas nas cabeças de pessoas sinceras.

Por exemplo: Nós aconselhamos pessoas à “aguardar a vontade de Deus” mas como sabemos quando a vontade de Deus chegou ou não? Quando alguém está em duvidas nós falamos “Busca a vontade de Deus” mas buscar aonde? Você entende o que eu quero dizer com “conceito mal-entendido”?

Então gostaria esclarecer um pouco o assunto da Vontade de Deus. Gostaria fazer isso expondo três coisas. Aqui no inicio é a minha intenção ressaltar algumas coisas que já sabemos sobre a vontade de Deus. Depois pretendo definir a maneira que Deus guia-nos na Sua vontade. E por ultimo, quero mostrar como esse assunto pode ser aplicada a minha vida e a sua vida também.

Então vamos começar com a pergunta: O que é a vontade de Deus?

Uma vontade é um desejo, como uma criança tem vontade de tomar sorvete. Vontade é uma determinação, como uma criança sem vergonha determina que vai chorar até que alguém compra sorvete. Uma vontade é apenas o que uma pessoa deseja ou determina vai ser feito.

Os animais não têm vontade. Nunca se ouviu falar de leão que decidiu comer uma zebra e depois deitar na sombra. Ele age por impulso, não por vontade. Mas nós, humanos, temos uma vontade.

Esse fato é obvio. Mas surge a pergunta: Deus tem vontade? Obviamente nós temos vontades, mas Deus tem? Sim, Deus tem. Olha o que está escrito no nosso texto (Romanos 12. 2) – “para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus”. Essa vontade pertence a quem? A Deus, conforme está escrito. Isso quer dizer que Deus deseja ou determina algo que vai ser feito.

Mas o versículo não só afirma que Deus tem uma vontade, ele vai além e descreve essa vontade – esse desejo ou determinação que vai ser feito – como sendo boa, agradável e perfeita.

Seguir a vontade de Deus também depende de saber o que buscar, como o bom estudo bíblico e dos fundamentos teológicos. Que são a base para qualquer cristão de fé.

Entende que essas três características reunidas em um só lugar são coisas notáveis. Em nenhum outro lugar essas palavras são usadas em conjunta para descrever uma só coisa.

Por exemplo, em Romanos diz que “Sabemos que todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus…” (Romanos 8.28), mas não diz que todas as coisas contribuem juntamente para o agrado ou a perfeição daqueles que amam a Deus.

Outro exemplo se encontra em I Timóteo 2.1-3. Quando Paulo escrevia para o jovem pastor Timóteo, ele manda Timóteo orar por aqueles em autoridade – os reis, governantes – porque essa ação é “bom e agradável diante de Deus nosso Salvador” (I Timóteo 2.1-3). Mas Paulo não chega a afirmar que tal ação é perfeita diante de Deus.

Então entende que essas três características reunidas em um só lugar são coisas notáveis. As pessoas que entendem isso, verdadeiramente entendem isso, eles perdem o medo de seguir a vontade de Deus – porque a vontade de Deus vai ser melhor, mais agradável, e mais perfeito do que a sua própria vontade.

Mas se você não concordar com Deus aqui, você está no erro. Se você discordar com Deus e acredita que a Vontade dEle é ruim, desagradável, e imperfeita, você está errado.

Um Legado de Família

No temor do Senhor tem o homem forte amparo,

E isso é refúgio para os seus filhos (Pv 14.26) 

pr david merk_thumb[1]Os pais têm uma responsabilidade diante de Deus de fazer tudo em seu poder, na dependência da misericórdia e graça de Deus, para transmitir um legado fiel às próximas gerações.  Para nos guiarmos na função, criamos o seguinte: uma declaração objetiva de compromissos que nós, como pais, assumimos diante de Deus, junto com as responsabilidades que repassamos aos nossos filhos, netos, e seus descendentes depois deles.

Isso não gera nada. Mas reflete o que cremos e o que gostaríamos que nossos descendentes cressem, também.  Por isso, uma semana antes dos filhos casarem, presenteamos esse nosso legado ao novo casal numa moldura especial para ser colocado em seu novo lar. 

Postamos nosso legado na esperança de que você também preocupe-se com o legado que está repassando para seus descendentes, até que Jesus volte.  Adapte-o, mude-o, mas acima de tudo, reflita no legado que está deixando para os filhos dos seus filhos (Pv 13.22) 

O Compromisso dos Pais para com seus Filhos 

Com a capacitação de Deus, e em sua graça, nós nos comprometemos com vocês a realizar o exposto abaixo e, da mesma forma, os responsabilizamos a aplicar estes princípios em seus lares: 

Prometemos a ensiná-los a Palavra de Deus, totalmente suficiente para protegê-los e provisioná-los para qualquer desafio, dirigindo vocês para as veredas da justiça; 

Prometemos a discipliná-los focando a necessidade de seus corações, e dirigindo-os à graciosa provisão de Deus para salvação e santificação, por meio da obra redentora de Cristo:

   – Prometemos envolvê-los com uma instrução baseada na vontade de Deus, disciplinando vocês, a fim de que se tornem homens e mulheres que O conhecem, O temem e seguem Seus mandamentos; 

   – Prometemos a castigá-los de uma forma consistente e coerente à Palavra de Deus, estabelecendo limites bíblicos, e motivando uma obediência imediata, inteira, com a convicção do que é certo, com honra, e sempre almejando uma completa restauração do nosso relacionamento; 

   – Prometemos ajudá-los a descobrir o que significa viver pela graça, como filhos aceitos e amados pelo Pai Celeste, seguros de sua posição em Cristo; 

Prometemos prover a vocês um lar que seja um refúgio santo, onde vocês sempre serão bem-vindos e aceitos, onde poderão ouvir a voz de Deus e caminhar com Ele. E o quanto estiver ao nosso alcance, prometemos protegê-los de sofrimentos; 

Prometemos pedir perdão quando falharmos em cumprir esses e outros compromissos assumidos com vocês, buscando a reconciliação com vocês e com Deus; 

Prometemos estabelecer memoriais familiares e tradições que fortaleçam nossos laços, um com o outro, e com o Senhor; 

Prometemos a diligentemente transmitir a vocês uma herança profundamente cristã, a qual nós mesmos recebemos de nossos pais, avós e de nossa ascendência como um todo. 

Este acordo e essas promessas nós passamos para vocês e para todos os nossos descendentes, até o fim dos tempos. Desafiamos vocês a manterem uma cópia desse legado para seus filhos, para que esses valores e princípios sejam fielmente transmitidos a cada geração da nossa família até o retorno do Senhor Jesus Cristo.

16 de abril de 1998

Davi e Carol Sue Merkh 

O Compromisso dos Filhos para com os Pais 

As incumbências que Dave e Carol Sue Merkh transmitem a todos os seus descendentes, até o retorno de Cristo para Sua igreja. 

Conscientes da graça capacitadora de Deus, nós abaixo comissionamos nossos filhos, e os filhos de seus filhos, e os filhos desses, e às demais gerações posteriores: a caminhar na presença de Deus todos os seus dias, a viver pela graça como filhos amados, a viver pela fé e não pela vista, a permitir que a vida de Cristo seja vivida em suas vidas, pelo controle do Espírito Santo, no consultar da Palavra de Deus que promove a semelhança do Senhor Jesus Cristo. 

Nós incumbimos nossa família, pela graça de Deus e em Sua força:

   a permanecer constante na leitura da Bíblia e na oração individual;

   a ser fiel à igreja local onde se está congregando, contribuindo e ministrando;

   a “fazer o trabalho de um evangelista”;

   a lançar sementes de edificação e não reclamar ou ser conivente com fofocas;

   a guardar seus lares contra a infiltração do mal, especialmente em escolhas de entretenimento; a guardar suas mentes e corações de tudo que é impuro ou desagrada a Cristo;

   a dar a Cristo a primazia em seus lares, e a falar sobre Ele a seus filhos todos os dias, ensinando durante todo o dia, tanto formal como informalmente. 

Cabe a cada um de vocês evitar más companhias; procurar cônjuges com um proceder coerente à Palavra de Deus e compromissados com o Corpo de Cristo (Igreja); nunca contraírem matrimônio sem a expressa aprovação da sua família; honrar seus pais e avós; cuidar deles em suas variadas necessidades e quando em idade avançada; cuidar dos membros de sua família em tribulações e dificuldades.

O Reino Ainda em vida

“Por que, se pela ofensa de um só, a morte reinou por esse, muito mais os que recebem a abundância da graça, e do dom da justiça, reinarão em vida por um só, Jesus Cristo. “(Romanos 5.17)

Quando nos identificamos com Cristo na sua morte e ressurreição, entramos no reino de Deus e passamos a reinar juntamente com Ele. Agora nos vemos como justificados e justos, íntegros e perfeitos, santos e irrepreensíveis, sentados com ele nos lugares celestiais (Efésios 1.20). Somos “reino e sacerdotes” (Apocalipse 1.6). Por isso Paulo exortou a igreja em Corinto: “Porque fostes comprados por bom preço; glorificai, pois, a Deus no vosso corpo, e no vosso espírito, os quais pertencem a Deus. “ (1 Coríntios 6:20 )

Como tornar efetivas essas realidades em nossa vida diária? Somente com o Amor e a Obediência. Por conhecer o Senhor e crer nele, aquilo que antes não podíamos fazer, agora fazemos, confiando e obedecendo, aplicando na experiência diária os “direitos” e a posição que temos em Cristo. Quem ama, obedece e quanto mais amamos Aquele que deu sua vida por nós, mais desejaremos agradá-lo e obedecê-lo.

Portanto, se já ressuscitastes com Cristo, buscai as coisas que são de cima, onde Cristo está assentado à destra de Deus. Pensai nas coisas que são de cima, e não nas que são da terra; Porque já estais mortos, e a vossa vida está escondida com Cristo em Deus.Quando Cristo, que é a nossa vida, se manifestar, então também vós vos manifestareis com ele em glória.” (Colossenses 3:1-4 )

Vivamos, então, como MORTOS, RESSUSCITADOS, ASSENTADOS e GLORIFICADOS!